117
Home Contatos
     
 
  Serviços  
  Projetos  
  Consultoria Industrial  
  Gerenciamento de Serviços de Campo  
  Planejamento Industrial  
  Tecnologias  
  Osmose Reversa  
  Reuso de Água  
  Troca Iônica  
  MBR  
  Planta de Pasta Celulósica Termo Mecânica  
 

Ozônio
> Histórico e aplicações
> Comparativo

 
 

RSU - CDR

 
  RCD  
  Pátio de Madeira  
  Produtos  
  Analisadores de Ozônio  
  Filtro Auto Lavável  
  Flotador - FAD  
 

Geradores de Ozônio

 
  Moinho para reciclagem de plásticos  
 

Unidade Compacta de Tratamento de Água

 
 

Abrandador

 
 

DYMAX

 
 
  OZÔNIO - HISTÓRICO E APLICAÇÕES  
 

O gás ozônio começou a ser conhecido em 1781, quando pela primeira vez seu odor característico foi detectado e somente em 1837 o ozônio foi reconhecido como uma substância química. Mesmo assim, trinta anos se passaram para que em 1867, a fórmula triatômica do ozônio fosse descrita e reconhecida.

A habilidade do ozônio para desinfecção de água foi descoberta em 1886 e em 1891 testes pilotos já eram realizados em Martinkenfelde, na Alemanha. No entanto, a primeira instalação de ozônio em escala industrial ocorreu em 1893, em Oudshoorm, na Holanda, objetivando a desinfecção de água na estação de tratamento de água potável desta cidade. Até 1914 o número de estações de tratamento de água utilizando ozônio cresceu significativamente e na Europa já haviam pelo menos 49 instalações. O crescimento do ozônio caiu muito na época da primeira guerra mundial, quando pesquisas relacionadas a gases venenosos levaram a descoberta do cloro, que do ponto de vista econômico era mais vantajoso. Mesmo assim, o número de instalações de ozônio continuou crescendo, principalmente na Europa, e em 1936 já haviam aproximadamente 100 instalações na França e 140 no mundo.

Desta forma as aplicações de ozônio não são tão recentes como muitos imaginam, pois na verdade mais de um século já se passou desde a primeira instalação. Porém a realidade é que o cloro sempre foi mais barato e é atualmente o desinfectante mais utilizado mundialmente. A partir de 1975, foi descoberto que compostos organoclorados (subprodutos das reações do cloro com matéria orgânica) são cancerígenos e consequentemente o cloro começou a ter sua aplicação cada vez mais limitada. A principal preocupação quanto aos organoclorados é o potencial de formação dos trihalometanos (THM), produzidos geralmente na fase de pré-oxidação da água bruta com cloro antes do processo fisico-químico de tratamento de água. Desta forma o ozônio ressurgiu como uma das principais alternativas na substituição do cloro, resultando na retomada do desenvolvimento das aplicações de ozônio e principalmente dos sistemas de geração de ozônio. O resultado deste movimento foi a redução dos custos de capital e operacional do sistema de ozonização em aproximadamente 40 %.

As principais aplicações incluem:

  • Água potável
  • Água de Resfriamento e/ou Processo
  • Efluentes industriais, com alto teor de orgânicos (Ind. Química, Alimentícia, Farmacêutica, Celulose e Papel, Têxtil, etc.)
  • Redução de Cor, Odor, NOX
  • Água Mineral (Enxágüe de desinfecção de reatores, tanques e garrafas)
  • Lavagem CIP a frio
  • Processos de lavagem e desinfecção de frutas, verduras, carnes, etc.
  • Tratamento de lixívia e chorume
  • Uso em Lavanderias Industriais
  • Processos de Branqueamento
  • Processos de Síntese
  • Limpeza de Piscinas
  • Uso odontológico e medicinal
  • Outros;

<= Página anterior xxxxxxxxxxx Próxima página =>

 
     
Rua Traipu, 111 - São Paulo - SP | Fones: (11) 3825.8799 (11) 3663 2611 | Fax: (11) 3826.6288